Causos e reflexões

Um destino é uma nova maneira de olhar as coisas


"Um destino não é nunca um lugar, e sim uma nova maneira de olhar as coisas." - Henry Miller

Outro dia postei essa frase do Henry Miller na fanpage do Travel Monster (curte lá! hihi), mas a verdade é que ela só foi se tornar uma realidade na minha vida neste último final de semana.

Meus pais moram em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais, apenas uma dentre as muitas lindezas do nosso lindo Paraná. A região é morada de uma boniteza natural atrás da outra, mas vou mencionar apenas o Canyon Guartelá, maior canyon em extensão do Brasil e 6º maior do mundo, e o Parque Estadual de Vila Velha, que além das formações rochosas de arenito que lembram uma cidade, ainda tem as Furnas e a Lagoa Dourada.

Eu passei quase toda a minha infância e adolescência na região, só saí da casa dos meus pais aos 17 anos pra estudar na capital Curitiba e acabei ficando por aqui mesmo. Desde então, eu sempre volto rapidinho pra passar pelo menos um final de semana por mês na casa deles.

Foi o que eu fiz neste último final de semana. Não sei o que causou essa mudança na minha percepção, mas enquanto minha mãe dirigia e eu ia no banco do passageiro, eu via a paisagem como se fosse a primeira vez, e nossa, como era lindo.

Vista da estrada do Parque Estadual de Vila Velha. Foto: fotografo3d

Vista da estrada do Parque Estadual de Vila Velha. Foto: fotografo3d

Eu não conseguia parar de olhar, tentava tirar foto com o iPhone porque eu queria muito MOSTRAR PRA ALGUÉM ESSA LINDEZA, mas é claro que as fotos não conseguiam passar a sensação de estar andando numa estrada com campos infinitos de um lado e pedras e mais pedras do outro. E tudo isso é só a paisagem da estrada, sem nem precisar realmente visitar os lugares.

Vista da estrada sobre o Rio Tibagi, na região dos Campos Gerais. Foto: fotografo3d

Vista da estrada sobre o Rio Tibagi, na região dos Campos Gerais. Foto: fotografo3d

Esse é um caminho que eu faço na ida e na volta, no mínimo uma vez por mês, há 8 anos. Fica fácil abstrair e preferir ouvir uma música e dormir do que olhar pela janelinha do Princesão e apreciar a vista, e eu acabo deixando toda essa lindeza simplesmente passar batido.

Quando a gente visita um lugar pela primeira vez, tende a prestar mais atenção em tudo, desde a paisagem até as placas na estrada. Não consegue dormir no ônibus ou no carro porque não quer perder nada. E depois de ver a mesma paisagem maravilhosa um milhão de vezes, o fator “novidade” acaba se desgastando e ela perde um pouco desse valor, virando só mais um lugar por onde a gente está passando para chegar ao nosso destino, ao que “realmente importa”. Em vez de parar e curtir a viagem, ficamos com pressa querendo chegar logo.

É aí que eu digo que não precisa se deslocar geograficamente pro travel monster bater palma. Não cair na rotina depende unicamente do que a gente escolhe ver quando olhamos ao redor todos os dias.

Podemos escolher sermos sempre turistas na nossa própria cidade. Olhar todos os dias praquela praça que fica perto do trabalho, pra vista da nossa janela, pro grafite bonito naquele muro por onde a gente sempre passa, e se maravilhar todos os dias.

Se inspirar na frase do Henry Miller e olhar as coisas de uma nova maneira todos os dias e, com isso, chegar a um novo destino todos os dias. Se você olhar pra qualquer coisa procurando beleza, pode ter certeza de que vai achar.

E você? O que tem de mais bonito no seu dia a dia? O que te inspira uma nova maneira de olhar? Me conta nos comentários?

Leia também

2 Comentários

  • Responder
    Rafael Slonik
    29 de abril de 2014 às 00:36

    Sim e sim e sim a respeito do que faz parte do dia a dia e é tão bonito como qualquer outro canto por aí. Ainda mais o trecho em questão, de uma beleza absurda em todas as estações do ano, e que fica mais bonito ainda se fizer de janela aberta no carro. 😀

    Btw, uma das fotos mais legais que já tirei foi na estrada de Witmarsum, que é mais uma das pérolas que temos aqui por perto! http://instagram.com/p/YiVChkwez0/

  • Responder
    Jeh
    27 de janeiro de 2015 às 10:20

    <3 Ownnnn muito legal o seu texto!
    Tenho precebido que já não olho as coisas com a mesma pressa de antes! Uffa! Bemm melhor assim 😉 Fico me deliciando com coisas tão pequenas e simples que as vezes nem eu não acredito que não reparava antes! Adorando ler a Travel Monster 😉

  • Deixe um comentário