Bolívia Chile Peru

Melhor época pra conhecer Peru, Bolívia e o Atacama

Está começando a esfriar aqui em Curitiba, e a gente tem sido presenteado com dias lindos, daqueles de sol tinindo, sem uma nuvem no céu, e um ventinho fresquinho pra agradar. Essa é, pra mim, a melhor época do ano, e dias assim sempre me dão muita saudade da #mochigrinação (já faz quase 2 anos! <3). Hoje, me fez lembrar de uma pergunta que recebo muito:

Qual a melhor época pra fazer um mochilão pela América Latina?

Eis a resposta rápida e objetiva: a melhor época é aquela em que a gente pode ir. Quando der pra tirar férias do trabalho, da faculdade, daqui a um ano ou amanhã. Pega e vai!!!

Mas eu tenho certeza que você veio aqui pra ouvir uma opinião de quem já foi sobre qual a melhor época do ano pra visitar a região dos Andes, que é onde eu baseei todo o roteiro do meu mochilão. Você pode ver os detalhes do roteiro aqui.

A melhor época para conhecer o Peru e a Bolívia

Eu vou sempre recomendar ir no inverno, na época seca (maio-setembro). No verão, entre outubro e fevereiro, é época de chuvas na região, e é muita chuva, quase todo dia, muito quente e úmido.

Pra dar um exemplo, meus pais foram pra Machu Picchu em dezembro e quase não tem Machu Picchu nas fotos deles, apenas nuvens. Sendo que, pra mim, ver o sol nascer em Machu Picchu sem uma nuvem no céu foi uma das vivências mais espetaculares.

Vou reforçar que a melhor época é aquela em que a gente pode ir, então se você só vai conseguir folgar em dezembro-janeiro, nem pense em deixar de ir por causa da chuva: veste uma capa e vai.

A melhor época para visitar Machu Picchu

O nascer do sol em Machu Picchu é um espetáculo garantido na época seca.

Mas, se você tiver o privilégio de escolher, escolha viajar entre maio e setembro. Os motivos são vários.

O principal é o seguinte: não existe dinheiro no mundo que pague a maravilha de ter sol praticamente garantido em todos os dias da sua viagem.

Dia de sol espetacular pra subir o Chacaltaya. No inverno, todos os dias, sem exceção, são assim.

Dia de sol espetacular pra subir o Chacaltaya. No inverno, todos os dias são assim.

Ter sol significa que suas fotos vão ficar todas maravilhosas. Significa que os ônibus que você pegar não vão atolar nas estradas de terra, pois elas estarão bem sequinhas e não viradas em lama. As trilhas vão ficar mais fáceis com o terreno seco, e as noites ficarão mais bonitas com as estrelas à vista.

Sim, o céu estava ASSIM na primeira noite da Trilha Salkantay. Foto da minha amiga Madeleine, entre as silhuetas dos montes Salkantay e Humantay.

O céu estava ASSIM na primeira noite da Trilha Salkantay. Foto da minha amiga Madeleine, entre as silhuetas dos montes Salkantay e Humantay.

Se puder ir especificamente entre maio e junho, melhor ainda. Isso porque as férias dos gringos do Hemisfério Norte vão de julho a agosto, e se você chegar um pouquinho antes deles, consegue aproveitar o tempo maravilhoso sem tanta muvuca. Um pouquinho de muvuca sempre vai ter, mas antes das férias vai ter menos.

A melhor época para conhecer o Atacama

Apesar de eu recomendar fortemente o inverno para Peru e Bolívia, penso que na região do Deserto do Atacama a coisa mude um pouco de figura.

Eu estive no Atacama em julho. Passei muito frio, mais do que em qualquer outro lugar da viagem. Eu cheguei a pegar -15 ºC numa madrugada.

A Laguna Miscanti claramente vale cada tremedeira e batida de dentes.

A Laguna Miscanti claramente vale cada tremedeira e batida de dentes.

O inverno no Atacama também significa que os animais migratórios, como os maravilhosos flamingos das muitas lagunas, vão procurar lugares mais quentinhos. Até deu pra ver uns flamingos, mas nada tão impressionante quanto eu esperava.

Estar frio também significa que não vai rolar mergulhar nas lagunas. Quer dizer, não chega a ser proibido e você pode mergulhar se quiser, mas vai precisar de muito preparo físico, emocional e espiritual pra ficar de biquíni no gelo. Eu mergulhei na Laguna Cejar e foi uma experiência realmente mágica e transcendental, mas eu só consegui ficar 5 segundos lá dentro. Foi entrar, posar pra foto e sair. Poderia ter aproveitado melhor se fosse verão.

Por outro lado, no inverno algumas lagoas ficam totalmente congeladas, a ponto de ser possível andar sobre o gelo. Eu nunca tinha visto um lago congelado, então pra mim foi uma experiência incrível!

A melhor época para conhecer o Salar de Uyuni

O Salar de Uyuni fica bem próximo à região do Atacama, então as condições climáticas são as mesmas. Aqui é onde eu não consigo decidir qual é a melhor época, então vou deixar os prós e contras pra você decidir:

Salar de Uyuni no inverno

Essa foi a época que eu fui. O frio estava tão tenso quanto no Atacama. Não foi fácil dormir nos hotéis de sal inclusos no nosso tour. Muito menos tomar banho. Mas durante o dia, com o sol tinindo, ficava bem gostoso conhecer os lugares com aquele calorzinho.

O tour do Salar também geralmente inclui lagunas que são conhecidas pelas hordas de flamingos, que são um espetáculo por si só. No inverno, você vai sim ver meia dúzia de flamingos pingados, mas não o espetáculo que a gente espera.

Mas a principal diferença está no próprio deserto de sal. O que você vai ver no inverno é uma extensão absurda de sal branco, seco e batido.

No inverno, não vai ter espelho d'água, mas vai ter hexágonos místicos e secos.

No inverno, não vai ter espelho d’água, mas vai ter hexágonos místicos e secos.

A magia aqui está nos hexágonos que se formam no chão seco quando a água evapora. É muito impressionante e emocionante. Mas não espere ver o famoso espelho d’água, ou você vai se decepcionar.

Salar de Uyuni no verão

Sim, além das temperaturas mais toleráveis, é no verão (dezembro-março) que você vai ver o tão maravilhoso espelho d’água que conhecemos naquelas fotos espetaculares do Salar.

No verão você vê também um milhão de flamingos nas lagunas.

O ponto negativo aqui é a segurança. Com o terreno alagado e instável, você já imagina o que pode acontecer, né? O jipe pode atolar.

Não que isso não possa acontecer no inverno também, como conta o Bruno Baldrati neste relato tragicamente maravilhoso da sua passagem pela Bolívia. Mas é mais perigoso no verão, sim.

Assim, fica à sua escolha.

Sugestões de roteiros de mochilão para o inverno e verão

Se você tem tempo de sobra, como eu felizmente tinha, dá pra escolher uma época do ano e fazer todo o trajeto que eu fiz de uma vez só. Mas como muita gente me pergunta sobre fazer o roteiro em pouco tempo, 30 dias no máximo, eu sugiro sempre fracionar.

Vale muito mais a pena visitar com calma só Machu Picchu, o Lago Titicaca e as cidades pelo caminho, por exemplo, no inverno. Com um sol lindo, sem chuvas, e friozinho gostoso. Me aquece o coração só de lembrar dos dias bonitos que eu tive em toda a minha viagem.

Em outra oportunidade, aí sim você pode deixar pra conhecer, também com calma, o Deserto do Atacama junto com o Salar de Uyuni, dessa vez no verão. Você vai ver milhares de flamingos, mergulhar nas lagunas, e ver o espelho de água gigantesco do Salar.

No fim, é claro que o que vai ditar a época da sua viagem são uma série de circunstâncias práticas e pessoais. Mas espero que a minha humilde opinião te ajude, se você puder escolher 🙂 Eu amei cada minuto do inverno de 2014 e se pudesse fazer tudo de novo, não pensaria duas vezes em me programar pra ir no inverno de novo.

Que história é essa de #mochigrinação?

Em junho e julho de 2014 fiz um mochilão passando por Bolívia, Peru e Chile. Fui sozinha e sempre por terra, que era pra mor de passar mais tempo comigo mesma praticando duas coisas que estavam fazendo falta na minha vida: a espontaneidade e a abertura. Leia o post introdutório da série para mais detalhes sobre a idéia inicial e o roteiro, ou acompanhe todos os posts pela tag mochigrinação.

Leia também

4 Comentários

  • Responder
    Mayra Pereira
    25 de janeiro de 2017 às 11:17

    Ola Maria Thereza!
    Estou planejando um mochilao na America do Sul e seu blog tem me ajudado muito! Obrigada!
    Voce poderia “iluminar” meus planos? rs,,,,Pois a data que tenho disponivel será final de Setembro/inicio de Outubro e pelo o que estou lendo é uma época de transição de temperatura e clima como um todo. Será que conseguirei aproveiar?
    Beijo e obrigada novamente!

    • Responder
      Maria Thereza Moss
      14 de fevereiro de 2017 às 14:39

      Oi, Mayra! Acho que você vai conseguir aproveitar bem, sim! Talvez essa época de transição seja boa pra você não pegar muito nenhum dos extremos. Nunca fui nessa época então não tenho muita certeza de como é. Mas se essa é a única data que você tem disponível, então essa é sem dúvida a melhor data pra você, e tenho certeza que você vai aproveitar e amar cada momento, faça chuva ou faça sol 🙂 Beijos e boa viagem!

  • Responder
    Jorge Barouch
    16 de março de 2017 às 13:54

    Olá Maria, muito interessante seus relatos, pretendo fazer um mochilão esse ano na época de Julho/Agosto por Peru, Bolívia e Chile assim como você. Vou viajar 45 dias. Acha que consigo aproveitar bastante? Quero fazer algumas coisas diferentes do habitual também, pois sou muito ligado a natureza e gostaria de conhecer algumas cachoeiras por exemplo. Seus relatos estão me ajudando bem! Se tiver mais algumas dicas pra me passar, por favor, o meu e-mail está no cadastro. Um abraço!

    • Responder
      Maria Thereza Moss
      16 de março de 2017 às 13:57

      Oi, Jorge! Que legal, esse tempo que você tem é ótimo pra uma viagem dessa! Vai dar pra aproveitar bastante, sim. Todas as dicas que eu tenho estão ou estarão em breve aqui no blog 🙂 Fique de olho!

      Beijos e boa viagem!

    Deixe um comentário