Destinos Itália

Italia Parte 2 – Verona e o Espirito Viajante

Perdoem a falta de acentos, na residencia ainda nao tem internet e estou num computador com teclado frances na universidade, um iMac 20″, diga-se de passagem.

No dia do show, sexta-feira, acordei cedo e fui pra Milano Centrale, um estouro de estaçao, uma construçao antiga com uma infraestrutura novissima, lindo demais. Nao tirei foto porque achei que ia ter tempo depois mas nao tive… Cheguei la 20 minutos antes do trem sair e tava a maior fila na bilheteria, ainda bem que eu ia pagar no cartao, entao podia usar uma das maquinas automaticas de bilhetes. A surpresa boa foi que eu tinha visto na internet que a passagem custava 15 euros, mas na hora de comprar achei uma que demorava meia hora a mais e era 8 euros! Fechou.

Comprei, sai correndo pro binario e o trem ja tava la. Ai descobri por que custava mais barato. Inteirinho pichado, trem daqueles velhos, quando entrei sofri pra achar uma janela que ainda estivesse sem pichar. Acho que eu esperava um trem novinho como os que tem na Franca, tipo o que eu fui pra Pérouges. So nao me senti nas quebrada no trem cos mano do RZO porque o povo era bonito.

Cheguei na estacao as 10 da manha, o show era as 9 da noite. Como tinha tempo, fui olhar o mapa dos transportes sem pressa pra ver como chegar na Arena. Nisso, vi um casal de velhinhos com um mapa bem completo na mao e parei pra perguntar onde eles tinham conseguido. No fim era um casal de irlandeses que nao falava lhufas de italiano, e aproveitando que eu falava, eles me disseram que tinham dito pra eles que dava pra chegar na Arena a pé, mas eles nao conseguiam achar a rua e me pediram ajuda. Ajudei e aproveitei a dica ne, realmente foi bem susse ir a pe pra Arena, Verona e super pequena entao acabei fazendo tudo a pe. Se nao fossem os velhinhos, eu teria comprado um passe de onibus inutil.

Eles perguntaram se eu estava viajando sozinha, falei que sim, falaram que eu era uma young lady corajosa, isso levantou o moral da viagem. Perguntaram onde eu ia ficar, eu falei que nao sabia, eles falaram pra eu procurar logo porque estava tendo uma conferencia na cidade e todos os hoteis estavam lotados. Agradeci a informacao mas caguei pra hotel ne, o maximo que eu tava disposta a pagar era um albergao, e olhe la. A esperanca de ainda rolar um plano A (fazer amizade com italianos que tenham onde ficar) era grande.

Chegando na Arena, sentei para comer meu brunch de salame e dar um tempo, mas ai reapareceu a problematica do xixi e da minha bexiga impaciente. Ate tinha banheiro publico, mas tudo pago, e eu nao queria liberar nem 20 centavos. Ate que avistei um McDonald’s. Na Franca existem os nazistas do banheiro, geralmente uma negona 4×4 que fica na porta fiscalizando se voce tem nota fiscal provando que consumiu e que e uma pessoa superior e, portanto, pode usar o banheiro. Achei que ali seria a mesma coisa, entao entrei com a maior cara de paisagem possivel, fui direto pro banheiro e, pra minha surpresa, as portas estavam todas abertas e nenhum toilet nazi a vista. Gloria. Durante o dia, sempre que precisei de banheiro fui no McDonald’s, ate minha camera botei pra carregar na tomada do McDonald’s, se eu fosse um pouco mais cara de pau podia ate ter dormido no McDonald’s que tava susse. McDonald’s eh uma mae para os viajantes lisos.

Tudo ok, hora de visitar a cidade para dar um tempo ate a hora do show. No caminho para a Casa da Julieta, um italiano me parou perguntando se eu sabia onde era uma tal rua. Nao conhecia, mas abri meu mapa pra ajudar ele a procurar e os amigos dele vieram junto ajudar. Nao achamos a rua, mas descobri que eles tambem tinham vindo para o show e tambem estavam sem lugar para ficar. Eram 4 meninos e 1 menina de Napoles, uns queridos. Fiquei ali conversando com eles um tempo, ja que tinha muito tempo de sobra. Claro que pensei no plano A, mas tambem nao sou interesseira haha. Trocamos telefone e eles foram procurar hotel enquanto eu fui visitar a cidade.

Milao eu achei feia e suja, mas Verona eh a coisinha mais linda. Cidadezinha pequena, com varias construcoes medievais, um rio que passa no meio, atravessado pela incrivel Ponte Scaligero. Apaixonei. A merda foi que com toda a vibe romantica do lugar, Romeu e Julieta e essas merdas todas, me ocorreu finalmente (porque ate entao era como se naa tivesse acontecido) que eu nao tinha mais pra quem deixar recadinho na parede da Casa da Julieta. Acabei deixando um recadinho pra mim mesma, meio que na mesma linha  da minha tatuagem.

Mas fazer o que? Daqui a pouco eu ia ver o Liga, voces tem nocao do que isso significa? Acho que todo mundo que eh fa descontrolado de algum musico internacional e conseguiu ir no show da pessoa sabe o que eh isso. E porra. Eu ia ver o Liga NA ITALIA. Sem palavras.

A Parte 3 sera so sobre o show, senao essa daqui vai ficar enorme haha. Enquanto isso, vejam as fotos no Flickr.

Quer saber o resto da história? Tá na mão!

Itália Parte 1 – A ida e Milão

Itália Parte 2 – Verona e o Espírito Viajante

Itália Parte 3 – O Show do Ligabue

Itália Parte 4 – Dormindo na estação e a volta para Milão

Itália Parte 5 (Final) – O Couch Surfing e o Saldo Final da Viagem

Leia também

2 Comentários

  • Responder
    7 de outubro de 2009 às 17:33

    ‘tou gostando muito dessa narrativa de viagem, mas só tenho uma coisa pra te dizer por hora:
    “LEVANDO BORRACHADA”
    beijos.

  • Responder
    Maria Thereza M.A.
    8 de outubro de 2009 às 07:54

    amiga, o pior não é levar borrachada. o pior é que eu to comendo MARMITAS AMASSADAS. beigos.

  • Deixe um comentário